29/07/2011

Lives

 Essa é uma história curta. Não é que eu queira resumir, mas é que essa história não é minha. Foi de alguém que eu conheci há muito tempo, no baile da escola, coberta de calda de chocolate.

- Sabes até que isso tem um cheiro bom, a não ser que isso está tampando minha visão. - ela dissera, com o coque em seu cabelo baixo por conta da calda. Ela estava com um vestido verde bebê (ou seria azul?) e uma tiara que combinava com o sapato preto.
- Argh. Isso coça no nariz. - eu era alérgica a chocolate e rapidamente sai de sua frente.
- Certo, você, só...ah, esquece. - ela dissera, retirando o óculos e mostrando seus olhos incrivelmente azuis como o céu.
- Você tem olhos lindos. - eu disse, ela não percebera meu comentário. Andava calmamente ao toalhete. A segui.
- Você não vai parar de me seguir? - ela disse, entrou e encontrou um banheiro, onde se trancou imediatamente. Era raro ver algum desocupado. Fiquei desolada e do lado de fora sabia que ela estava chorando. Sabia e ouvia.
- Por que choras? - perguntei.
- Isso é engraçado. A vida. As pessoas. A falsidade. Você sequer sabe quem eu sou, não é? É incrível como olhos verdes podem te enganar facilmente, como um sorriso bobo na cara ao te ver pode te hipnotizar. Como uma trama maldita pode se concretizar. - Eu sabia do que ela falara, o boato já corria pelo baile. "Garota nerd enganada por garoto popular é banhada por chocolate pela líder de torcida." Bang bang. Eu odiava isso na escola, odiava o modo como tudo era ironizado, padrozinado, esquematizado.
- É, é engraçado. - eu dissera, pensativa. Ela continuava a falar, e eu pensara que na época ela não suportaria olhar para cara de nenhuma pessoa daquela escola. E até me aliviou lembrar que seria o último ano.

 Foi nosso pequeno diálogo. Ela saiu daquele banheiro, limpou o óculos, enxugou as lágrimas, tirou o vestido, e apenas com o vestido fino que ela estava por baixo saiu novamente para o baile. Claro que ela não ficou, saiu andando para sua casa. E eu nunca mais havia ouvido falar dela...até hoje.
 Sim, é engraçado como a vida, as pessoas são. Eu nunca soube o nome dela ou onde ela morava, mas aquele diálogo formou a sua história.
 Hoje, ela faz filmes, roteiros e eu estarei a par com ela em um dos seus filmes. Sou a diretora. Ela também é fotógrafa. Quer saber o que mudou na vida dela?
 Ela abriu seus olhos, começou a usar lentes, deixou os cabelos soltos, vestiu a moda, estudou muito, se dedicou, esqueceu o baile, o cara, a patricinha. Ela se formou, se casou, teve filhos, um emprego, um orgulho. Ela aprendeu com um erro, e hoje pensando nisso e lembrando daquela garota eu vejo que se você cai uma vez, você tem milhões de chances para levantar e ser melhor do que a pessoa que te derrubou ou não te ajudou.
 Essa é a história dela.

2 deixaram-me mais motivos para sussurrar:

Bruna Morgan disse...

Por algum motivo me arrepiou o-o

http://bruna-morgan.blogspot.com
http://verboresenhar.blogspot.com
http://projetocreativite.blogspot.com

Maríih disse...

Muito lindo mesmo, realmente nós devemos aprender com nossos erros e levantar a cabeça, o ruim é que muitas vezes não o fazemos.