23/10/2010

Última chance

Minha paz está acabando.
Meu sorriso se apagando.
As vozes estão se silenciando
e os olhares se distraindo.

Os corpos estão ficando cansados
e os toques perdidos.
A respiração controlada,
mas o ar pesado.

O mundo está ficando escuro
e as recordações encontraram um caminho para não trazerem saudades.

Os prazeres não satisfazem
e o relógio já não conta mais as horas.

A distância já não machuca.
O amor já não faz sofrer.
Os amigos já não fazem rir.

A solidão invade o peito frio...
Sem ter tempo, não consegue respirar
e o bom já não importa mais.
Pois o sim ou o não, já tanto faz.

Ele se congela.
Não se desgela.
Pois o mundo a volta já não é mais colorido.

A última chance chamada esperança
só nos deixa, quando paramos de existir.
A vida projeta nela a vontade de viver
e de encontrar a felicidade.

Encontrar também alguém
que desperte os 5 sentidos.
Que nos faça rir enquanto a tempo.
E que esse tempo dure.

E enquanto ele existir,
que a felicidade perdure.

Nota: 8,96

6 deixaram-me mais motivos para sussurrar:

Marcos de Sousa disse...

Gostei bastante da poesia. Essa busca pela felicidade é, e sempre deve ser, algo primordial em nossas vidas.



Seguindo... Quando puder, me faça uma visita: http://omundosobomeuolhar.blogspot.com/

Vanessa disse...

Amei seus textos, e seu blog tbm !
Já estou seguindo (:
beijos :*

http://www.visaodocoracao.blogspot.com

JhonSiller disse...

que poema lindo
adorei seu blog. vou te seguir :*

Bruuh Fevers disse...

Que linda!!
Adorei o layout do seu blog ;)

http://imodelblog.blogspot.com/

Elania disse...

Muito obg queridos pelos comentários :)

Luara Q. disse...

tu escreve muito bem!