28/09/2010

Passado é história [PARTE III]

Para entender, leia antes as Partes I , II .

   -Não me provoca garota. - disse minha... mãe(?) Eu não sei como chamá-la. Seu sotaque falso, pele falsa...ah, já sei. Farsa, ela é uma farsa.
   - Desculpe. - disse, voltando para o quarto. Eu só queria ir atrás do Roger. Abraçá-lo. Olhei-me no espelho no final da escada, encarei meu corpo maltratado. O short curto só realçava minhas manchas. Respirei fundo.
   - Você ainda pode ser bonita. - disse meu...meio-irmão ou...nada irmão, Stefferson. Seu sorriso largo incendiou sua imagem. Ele era diferente da mãe. Era engraçado e divertido, assim como o pai... pai, esse foi o melhor que ganhei vindo aqui.
   - Qual foi a promessa louca que vocês fizeram pra me adotar? - falei retoricamente.
   - Eu não fiz nada. Minha mãe fez...uma promessa para meu pai. - ele senta no degrau da escada em que estava de pé, ainda examinando-me pelo espelho. Suspira pesaroso e com um sinal de cabeça me chama para que me juntasse junto a ele. Vou andando de encontro a ele, enquando ele continua.- Eu tive uma irmã, sempre ouço falar dela. Ela morreu com sua idade...nossa idade. Então, como pode deduzir, ainda não tinha nascido. Minha mãe ficou assim, como é hoje, por conta disso. - ele desvia o olhar.- Você é um tipo de substituta para ver se ela melhora. Você se parece com ela sabia?! - ele fala com um sorriso na voz. - Meu pesadelo em pessoa. - ele sussurra tão baixo que custo a entender o que ele disse.
   - O quê? - pergunto confusa. - O que você disse por último? - ele tenta se desculpar, mas o paro. - Por quê? - pergunto. Vejo ele pestanejar repetidamente.
   - Minha mãe sempre comparou e compara as coisas que fiz e faço com os que ela fez. - ele bufa, balançando a cabeça, fazendo com que seus cachos dourados pulassem de um lado para outro. Percebendo que estava olhando seu cabelo ele ri. - Tá na hora de cortar. - ele diz e puxa um cacho para frente do seu rosto, fazendo seus olhos se juntarem numa posição desconfortável. Ele ri novamente e joga a cabeça para trás, num gesto que me faz lembrar Roger. Estremeço com a lembrança. Levanto e me direciono ao meu quarto, deixando Stefferson rir sozinho.
   - Você não quer que eu continue? - pergunta. Mas não olho para ele. Balanço a cabeça em negativa e continuo o caminho para meu quarto.
Substituir sinônimo de trocar ou se fazer por outro coisa ou pessoa... Não me sinto melhor do que antes.
Deito na cama e encaro o teto vazio.
   -Onde você está Roger? - pergunto para o vazio.

Roger

    - Jessyli. Não. Temos que ir agora. - disse. Empurrando levemente suas mãos que insistiam em deslizar sobre meu peito. - Alexia não vai gostar de saber disso. - disse mais para mim mesmo, mas suas mãos param no ar e seus olhos me encaram incredúlos.
   - Alexia? O que a Alexia tem a ver com isso? - solto um pigarro desconfortável com a situação. Apesar de gostar de Alexia, Jessily era bonita e incrivelmente sexy. Desvio o olhar e respondo.
  - Nada. Só prometi a ela que voltaria para buscá-la. E se você não ver, o tempo passa. Vamos. - ela geme em negativa. Contraio o maxilar. - Por que você quer ficar aqui? - ela solta um risinho infantil.
  - Você não entende Roger. - ela pousa seus braços em meu peito e desliza sobre ele, transpondo um caminho de fogo sobre seus dedos. Perco o controle da respiração, ela solta outro riso. - Não é o lugar ou o tempo. É você. - com minhas defesas baixas, ela puxa minha camisa e me beija e mais nada está em minha cabeça. Retribuo.

Leia agora Parte IV.

2 deixaram-me mais motivos para sussurrar:

Paulatictic disse...

Muito bom! Fica cada vez melhor.

Elania disse...

Obg :)