17/09/2010

Passado é história [PARTE II ]

Leia antes Parte I

...- meu coração vacilou e eu senti uma ânsia de choro. Ele ia me deixar para procurar a Jessy. Me concentrei e consegui controlar a dor.
- Tchau. - disse friamente, retirando os braços que envolviam meu corpo.
- Eu vou voltar, eu prometo. - fechei meus olhos na esperança de que ele fosse embora rapidamente.- Tchau,Alexia.- beijou minha testa e saiu. O frio me incomodou. A noite foi longa. Quando alguns raios surgiram no céu foi que consegui dormir.
Triiiiiiim, o sino toca me ensurdecendo e me fazendo ter imediatamente uma dor de cabeça. Olhei o relógio na parede acima da minha cama. Eram 7: 30. Ótimo, não dormi nem duas horas direito. Minhas costas e meu peito dóiam. Queria ficar deitada mais tempo, mas o sino tocou outra vez, fazendo latejar minha cabeça.
- Tivemos uma fuga hoje, senhora. Só faltava dois meses para o garoto.
- Já perguntou o motivo aos amigos dele?Saber...- algumas funcionárias conversavam, mas minha cabeça dóia, não prestei atenção.
- Ei, você. Acorda. - dizia alguém, tirando o lençol de cima de mim. - Você era amiga do Roger?- aquele nome estremeceu dentro de mim, abri os olhos atarantada.
- Sim. Por quê?
- Porque ele fugiu e queremos saber para onde foi.- abri a boca pra dizer, mas hesitei. Roger iria me odiar.
- Não, não sei.- Agnes, segurou meu braço com toda força. - Ai.- pigarriei.
- Me diga a verdade, sua vagabunda.
- Eu estou dizendo a verdade. - tento tirar meu braço, mas só faz com que ela aperte mais ainda.
- É melhor que seja verdade Alexia.- joga meu braço para trás. Eu sabia que ali outra marca se formaria.
Roger. Seria esse o nome dessa marca.

- Então. Eles querem me adotar? Cara, eles sabe que tenho quase 18?! - falo rapidamente, aturdida.
- Olhe os modos como fala comigo. - disse Fagundes, o diretor.
- Desculpe, senhor.- disse, baixando os olhos.
- Alexia. Eu não sei o motivo por qual a escolheram, mas você irá embora amanhã. Só preencha esses dois formulários e me entregue de manhã. Arrume suas coisas. - disse fazendo alguns sinais para sair.
- Sim senhor. Com licença.
 Meus pensamentos vagaram do espanto para incredulidade e finalmente alegria. Eu ia ser adotada...Sorri enquando caminhava pelos corredores, sabendo que seria a última vez a passar por eles.
  Aceitação sinônimo de aprovação. Pode ser isso, mas eu nunca senti isso.

Leia agora, Parte III

0 deixaram-me mais motivos para sussurrar: