05/04/2011

Só o tempo

-Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração...então meu querido, você está apaixonado. - disse Florence, que calmamente saboreava seu prato típico. O único que conseguia comer daquele restaurante.
- Mas, Flo, não é bem assim. Eu penso nessa pessoa a todo instante, até quando estou conversando com ela. E você pode perceber, sou difícil de sorrir e quando estou com essa pessoa o meu sorriso vem fácil. - disse Theo.
- Vamos, Theo. Coma, amanhã você me conta mais sobre essa pessoa misteriosa que está fazendo isto com você. - Florence diz e bebe um pouco do vinho que estava em seu copo. Theo balança a cabeça, incrédulo.
- É tão difícil assim saber quem é? - e saboreia seu prato.


- Florence, estou cansado de estudar tanta física. De estar toda tarde nessa biblioteca. Você não se cansa? - Theo pergunta procurando uma mesa para ambos.
- Não com você aqui. - Flo diz, seus olhos vagavam entre as mesas, por isso não percebeu como a face de Theo havia ficado vermelha.
  Sentados um de frente para o outro, abriram seus livros. Theo física e Florence química.
- Então, irá me dizer quem é esta pessoa? - Florence pergunta, folheando o livro, procurando a página das cadeias.
- Você a conhece tão bem. É como se vocês fossem irmãs. - Flo, tira os olhos do livro e encara Theo.
- Theo, você sabe que não tenho irmã e nem amigas, por isso diga logo. - E com os olhos cor de mel, encara Theo. Theo desvia o olhar e sorri novamente.
- É você Florence. - Theo diz e seus olhos azuis encaram os dela de mel.
- Theo, eu-eu, eu sou cheia de defeitos, por que você iria pensar em mim assim? - E sem perceber ela enrubesce com a menção de ele estar apaixonado por ela. Theo era lindo e sua covinha na bochecha esquerda sempre a hipnotizava.
- Prazer, eu sou um cara cheio de defeitos também. Ninguém é perfeito, mas você é perfeita para mim, assim.
- Eu não iria saber como fazê-lo feliz. - ela diz e baixa a cabeça, pensando em todas as deixas que Theo havia dado.
- Serei feliz por amar você. Mas não preciso de tanto assim, já sou feliz só de ver você todos os dias e poder olhar esses olhos. - ele aponta para a face de Florence, aproximando-se e exibindo seu sorriso.
- Aprenda a conviver com meus defeitos e entenda que nem sempre serei boa companhia. - ela diz, também se aproximando.
- Eu já conheço seus defeitos, seus trejeitos e só eu sei conviver com eles. - ele diz, com uma ponta de orgulho na voz. Os dois se aproximam mais e um beijo acontece. Não o primeiro, pois eles já eram amigos e ocorria de vez em quando selinhos ou beijos mais profundos, mas não como aquele, que ambos sabiam que seria o passe para uma nova vida. Juntos.
Pauta para Edição Gênero-Situação, Creativité.
Edição Musical, Bloínquês.
Edição Música, OUAT.

Nem sei se ficou bom, gente ):

1 deixaram-me mais motivos para sussurrar:

Caroline disse...

Não posso contar, mas espero que goste de verdade. KKK :D

Bem, sobre o texto, eu adorei. Achei muito fofo. Adoro os textos que falam sobre a descoberta de um amor. *-* Tá lindo!

Beijos. s2