09/12/2010

I de irônico

 Você lembra quando eu era que ajudava você com sua garota? Quando eu era amiga dela? Fazia conferências telefônicas e ficava ouvindo vocês se declararem? Quando você zoava com a nossa cara? E eu simplesmente ria, vivia rindo.
 Você lembra quando eu gostava daquele cara seu amigo?
 Bem. Eu me lembro muito bem e sinto falta desse tempo. De você apenas amigo e eu apaixonada por outro, de você apaixonado e eu amando, de nós dois rindo juntos. De você me contando tudo e o ciúme nunca atrapalhando. Pois é. Eu sinto falta desse tempo.
 De quando eu não me preocupava com o que você pensaria do que eu diria ou faria, quando eu não me importava se você estava com alguém. Porque, pra mim, já era tudo você está com ela e eu continuar sendo a amiga, já era tudo pra mim, eu continuar ali, ouvindo você falar daquele cara pra mim, enquanto eu sonhava, me iludia, me decepcionava...
 R. mas o tempo passou, tudo mudou. Algo sutil surgiu e eu nem pude perceber, só percebi quando cresceu e continuou crescendo. Você acredita que eu te imaginava como o meu irmão mais velho, aquele que eu nunca tive, eu me imaginava madrinha do seu casamento, segurando seus filhos depois, sendo a "tia" deles. Por que tudo tinha que mudar?
 Agora, eu não sei mais como reagir ao ciúme, porque eu nunca senti, ainda mais por você, de quem eu tanto me inspiro. Não sei mais o que falar para prolongar uma conversa como antigamente, quando nós passavámos horas e horas no telefone, falando as novidades. Não consigo mais aconselhá-lo sobre qualquer garota, só por ela, aquela lá, que eu fui amiga, só por ela eu me simpatizo.
 Você sabe muito bem o que é um amor verdadeiro. E eu? O que eu sei? Só sei do que eu senti, só sei do que eu já passei. Mas e isso, que hoje estou sentindo, o que é? Como posso defini-lo? Platônico ou real? Como, R.?
 É quase de manhã e ainda não dormi, fiquei pensando no ideal para se resolver isso. Talvez a distância, esquecer, reprimir ou apenas aguentar, fingir que tudo está igual há uma semana. Mas não dá...
 Não dá pra passar um dia sem falar com você, seguro minha mão com força para não digitar seu número. E eu fico esperando você sempre me dizer aquele "Eu te amo" habitual. Eu devia desconfiar, mas eu sei que é real, depois de tudo que compartilhamos, que vivemos, que você me declarou, que você me confidenciou. Eu sei que eu sou especial. Mas... não do mesmo jeito que você, agora, é para mim.
 Eu espero, torço por sua felicidade, mas eu queria estar lá, do seu lado, enquanto você sorrisse. Mas você sabe, assim como eu, que aquela garota não vai voltar, aquela que de verdade você sempre amou. Ela se foi, ela não quer falar com você, eu fui amiga dela. Ela também me excluiu. O que eu posso fazer? Eu ainda gosto dela, sabe. Dela sendo minha amiga, mas fica difícil só de pensar nela, quando eu penso em você de uma forma diferente, enquanto eu quero sentir teus lábios nos meus e nunca mais ouvir você falar de qualquer garota pra mim. Então, me diz, como eu resolvo tudo isso?
Beijos da L.





Pauta para a 46° Ed. Musical e 
21° Ed. Cartas
Notas(Carta: 9,9 = 1° lugar *-*, thank's Ju, pela avaliação/ Musical : 9,93 = 1° lugar *-* , Alice obrigada :})

6 deixaram-me mais motivos para sussurrar:

My life disse...

oi falou minha vida, beijos =*

ual vc escreve muuito bem :) parabéns, :)

More Than Words disse...

Parabéns, você escreve muito bem mesmo! Amei esse post haha
Se puder depois dar uma olhada no meu blog. Sucesso :*

Jéssica F. disse...

Oi Elania, juro que comento sobre o texto outra hora, mas olha, estou fazendo um blog em parceria com outra garota e nao consigo colocar esse menu superior que eu vi que vocês têm, com início, contatos e tals, e eu gostaria de sabr se você pode me dar uma ajudinha, vc fez ele como lista de links? se não, se vc fez por código html mesmo, só me diga em que linha devo colar o código do menu, se não der, deixa, mas obrigada mesmo assim (:

Sara Carneiro disse...

Lindo texto, lindo blog, lindas palavras, enfim, parabéns. Você tem o dom das palavras, e eu me apaixonei por elas. Boa sorte no Bloínques. Beijos.

Se puder, passa lá:
http://sara-rsc.blogspot.com/

Sara Carneiro disse...

Querida (o) , tem texto novo no blog :) Se puder, visite, comente. Se gostar do meu cantinho, me siga, vem comigo *-*

http://sara-rsc.blogspot.com/

Natália disse...

Eu também sinto falta, também queria voltar no tempo e reviver tudo de novo. beijo