28/11/2010

Passado é história [PARTE X] (Pré-finale)

Para entender leia antes as Partes de I a IX

10 anos depois...
- Sammy, volte já aqui. - grito, tentando fazer meu filho de seis anos parar de correr na rua. Ele se vira e levanta as duas mãos rindo e corre para Stefferson. Rio junto com eles.
- Rafael quer falar com você. - ele diz pra mim. Domingo. Família.
- Vou lá. Cuide dele. - digo e o beijo levemente.

- O que houve? - pergunto, sentada no degrau da escada que dá para a varanda. Rafael recosta-se na coluna mais próxima. Ambos encarando o horizonte.
- Você quer ouvir uma história? - vendo que eu não falava nada, ele continuou. - Ele não tem sua idade, é mais velho um ano, só que ele não sabia até algum tempo atrás, sua mãe mentiu, achando que assim quando saísse do orfanato, sairia com a sua irmã. Acabou que ele fugiu e foi pego pouco depois e fugiu outra vez. Mas ele encontrou o pai e descobriu que a garota que amava, era a irmã não mencionada. Ele não podia fugir desta vez. Estava preso em um hospital, por culpa dela. Chorou. Mentiu. Decidiu não procurá-la mais. Anos depois volta a procurar o pai. Está casado, com uma filha de três anos. Gostaria de conversar com a irmã, a garota que ele julgara amar.
- O que você está querendo dizer? Está me deixando confusa. - respondo, estranhamente, sentindo minha garganta se fechar.
- O dono dessa história se chama Roger. Meu filho. Seu irmão. - olhei para ele e todo sentimento por Roger voltou, me invadindo. Meu irmão. Levantei-me bruscamente, ofegante. Coração doendo.
- Por que você não me disse isso antes? Depois de todos esses anos. Por que agora? - desviou o olhar, mexendo nos bolsos. Me encarou por fim. Agora entendo porque aqueles olhos me instigavam. Não eram meus. Era os mesmo de Roger. Lágrimas caiam em minha face, atenuando as rugas ao redor de meus olhos.
- Ele pediu que eu não contasse a você. Seria doloroso. Me desculpe Alexia. - Por que? eu queria gritar.
- É doloroso ainda, não importa o tempo, ainda dói. E-e-eu não consigo acreditar. - falei e me sentei no chão, pensando que tudo que vivi com ele foi completamente errado. Errado. Limpei o rosto.
- Espero que entenda e... vá vê-lo. Ele queria muito falar com você.
- Entendo.
- Alexia. Só, pense. Eu estarei aqui para qualquer coisa.
 Roger, meu irmão. Mentiu para mim, achando que assim não me faria sofrer. Eu sofri. Sofro. Todas as coisas por qual passamos.
- Alexia, você, vai entrar agora? - Stefferson pergunta, com seu olhar preocupado, examinando meu rosto.
- Daqui a pouco amor. Eu preciso pensar. - digo.
- Tudo bem.

- Pai. Fale para o Roger que poderei ver ele amanhã ao meio dia, estarei de folga. Vou na sua casa. - falei secamente, depois de muito pensar no assunto.
- Que bom filha. Será um ponto final nessa história. - ele diz.
- Passado é história também, e sempre será, não importa o fim. - digo e vou procurar por Sammy que corria no jardim atrás de vagalumes. Sorri. Tenho uma bela família. Incluindo o Roger, meu irmão. Tenho que me acostumar com isso...
:)

3 deixaram-me mais motivos para sussurrar:

Nina Auras disse...

Nossa, que final! Adorei. Acho que não teve bem um "ponto final", como foi dito, e isso deixou a história ainda melhor. Adorei ♥

Lísia. disse...

Tem um selinho no meu blog pra vc ;*
Passa lá e olha

★★ GIZA ★★ disse...

ola
adorei seu blog e estou te seguindo
me faça uma visita:
www.amorimortall.blogspot.com
me siga por favor
vou adorar que sejamos amigas
beijos