19/04/2011

Begin

 A imagem dela tremeluziu na minha frente. Os olhos e aquela boca carnuda me chamavam. Eu fiquei ali, parado, preso a sua imagem. Segurando sua mão, vendo o quanto ela estava fisicamente ali.
- Iana, eu sinto sua falta. - eu digo, percebendo o quanto minha voz tremia. Ela deu um pequeno sorriso e apertou ainda mais minha mão. Me aproximei, vendo que ela não respirava, vacilei um pouco e soltei um suspiro.
- Erick querido, as coisas mudaram muito. Eu também senti sua falta. - ela diz e  eu encaro os olhos dela, tão meus, tão reais.
- Por que não podemos começar tudo de novo? - eu pergunto, segurando as lágrimas teimosas na minha garganta. Eu sabia a resposta, eu sabia o motivo e a culpa era toda minha.
- Meu amor, não podemos mudar o que já passou, passado é passado. Você continua vivo e tem que recomeçar, não adianta fazer o que vem fazendo, procurando vingança por mim. Eu estou em paz, Erick. Eu estou bem, só...só sinto sua falta, mas eu irei te esperar, irei sempre te esperar. - ela diz pra mim, e não entendo o porque ou como é possível, mas lágrimas saltam de sua face. Se aproxima e beija meus lábios, eu sinto o quanto sua imagem está se dissolvendo e eu quero agarrá-la e não soltá-la mais, deixá-la ali comigo, pra sempre.
- Iana.não vá. - eu sussurro. - Eu amo você e por você irei recomeçar. - digo, ela sorri e sua imagem some aos poucos. Eu agarro o vazio, respirando forte, respirando seu perfume. Eu sei que ela se foi, e que não podemos ter um novo começo, dói, machuca, mas eu pretendo seguir, por ela...por mim.





- Pauta para a 20° Edição Roteiro e Edição Musical, projeto Bloínquês.

1 deixaram-me mais motivos para sussurrar:

Jéss disse...

Nossa que lindo, eu realmente amei *-*
Como você consegue criar contos tão lindos hein? rs
bjos.