13/11/2010

Perdão?

 Posso parecer estranha nessa carta, mas preciso dizer mãe, que é um tempo de recomeçar pra mim. Papai agora está com outra e te esqueceu, mas eu não, eu vou estar aqui para você, sempre.
 Cheguei do meu trabalho e encontrei seu recado, dizendo que Ketlen estava no hospital, senti um frio na espinha, mal estar, então decidi que era hora de voltar. Desde sempre nunca convivi de bem com você, por motivos que você sabe muito bem, mas aquela garota no hospital é minha irmã e voltei por ela. Vou ser até um pouco rude agora, mas, por favor, enquanto eu estiver aqui não venha com suas eternas lamúrias, causas da minha saída de casa. Apesar de dizer que estarei aqui sempre por você, isso é verdade, mas evite, ainda reprimo um pouco de dor e mágoa em meu peito. Ketlen não está bem, pelo que falei com ela e necessito que vá visitá-la sempre que puder. Por que você não faz isso? Onde você deve estar agora...
 Quando você chegar em casa verá esta carta e talvez não a lerá no momento, ou correrá seus dedos magros sobre o papel sem abri-lo, e quando abrir talvez se arrependa, mas é preciso, já que o momento me favorece.
 Papai nunca te amou, ele sempre me dizia isso, dizia que você o prendeu na sua rede de mentiras, e eu fui o resultado de uma dessas. Mãe, perdoar é tão difícil, ainda mais saber o que você fez comigo e com minha irmã. Por que? Eu tentei na minha adolescência ter uma amiga e inspiração em você, mas não melhorou, só piorou minha situação.
 Suas bebidas, seus jogos, nossas brigas incessantes. Seus tapas que dóiam mais na alma do que na carne. Por vezes tentei entendê-la, mas foi em vão. Tudo é em vão. Me lembro que, enquanto eu fazia minhas malas, você não me dirigiu nenhuma palavra, não se despediu, me ignorou por completo. Você quer perdão por não ser mãe? Talvez encontre, mas ainda estou caminhando nessa estrada de perdoar, ainda há coisas que eu martirizo na minha cabeça. Tudo que você fez...
 Perdoe-me senhora Kate por ser sua filha e por trazer tanta raiva em sua vida. Mas eu agradeço a você por ter me dado uma vida e aprender com ela os erros e acertos que tantas vezes pude enxergar em você. Talvez você não me ame, talvez não ame sua família, mas sei que existe um coração em você. Ketlen precisa de uma mãe agora, enquanto é tempo. E eu preciso de uma amiga.
 Faça o mesmo que  eu, recomece. Sempre há tempo de fazer isso.
 Abraços de sua filha, Missy.

4 deixaram-me mais motivos para sussurrar:

JhonSiller disse...

adorei!

http://jhonatansiller.blogspot.com/

Nathália Alves Pires disse...

*--* emocionei

Karlene Duarte disse...

Ameeeiii demais o seu blog,estou seguindo-o desde já.
http://karleneduarte.blogspot.com
beijo. ;*

Vinicius Ferrari disse...

Bem primeiramente peço desculpas pelo atraso, mas como estamos no feriado não tive tempo para avaliar na sexta, nem no sábado e bem, me sobrou o domingo de páscoa!

Sua carta ficou adequada ao tema e beeem criativa. Pediria apenas para tomar cuidado quanto as letras maiúsculas e minusculas, isso acaba atrapalhando um pouco a leitura e tudo mais. Acho também que deveria aumentar um pouco a fonte e/ou troca-la, pois da forma que esta os pontos e virgulas mais parecem microsujeirinhas na tela do computador, o que atrapalha o bom entendimento da carta em algumas partes.

Fora os meus conselhos de tiozinho cego, sua carta esta ótima!

Parabéns e bom final de páscoa!

*-*