15/01/2010

Minha noite fria

Ontem a noite, as lágrimas me entorpeceram, não consegui detê-las , elas transbordaram, mais do que eu imaginava , me apertaram o coração, senti um estrangulamento interno, suportável, mas doloroso, meus olhos gostaram do escuro que fazia, eles ansiavam pela escuridão, queriam tempo para eles se esconder, enquanto as águas saiam , era o melhor, minha garganta se fechou a dor a consumia, meu estômago me deu murros surdos, a cabeça latejou, a dor me penetrava, apesar de eu estar chorando, lágrimas caindo sem permissão eu não consegui me conter, parar, mas a sonolência estava presente, e eu adormeci...Meus olhos amanheceram inchados da noite mal dormida, da noite dolorida no escuro, eu respirei fundo e ainda doía meu coração como se houvesse um corte profundo...Acho que essa dor são provas de mim, não me sinto fraca, isso é reconfortante,...Eu tenho consciência de que ela só faz parte desse momento em questão, que eu , eu vou conseguir distraí-la, arrancá-lo do meu peito, que dói tanto agora, nesse momento.











Sorte?

2 deixaram-me mais motivos para sussurrar:

Natália das Luzes disse...

Eu gostei da expressão "murros surdos" ;)

As vezes não dá pra esquecer a dor mesmo, mas se você conseguir tirar ela do centro das atenções já melhora bastante!

Elania disse...

Com certeza, obrigada ;)